6 de outubro de 2010

Existe evidência para afirmar que o melhor alimento fonte de ferro é a carne?

È muito comum escutar que o melhor alimento fonte de ferro é a carne e que uma dieta vegetariana é um risco para o desenvolvimento de anemia ferropriva.

FUNÇÃO
O ferro, essencial para a formação das células vermelhas (hemácias), é o mineral mais abundante na superfície da terra, mas de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 1\3 da população mundial apresenta carência do mineral.

DISPONIBILIDADE
O termo disponibilidade pode ser definido como sendo a proporção de um determinado nutriente em um alimento ou dieta que pode ser realmente utilizado pelo organismo, o que inclui a absorção, transporte e a conversão em formas biologicamente ativas. Resumindo é a quantidade do nutriente que o corpo vai usar de fato.
Na natureza há dois tipos de ferro presentes nos alimentos, o ferro não-heme, presente nos alimentos de origem vegetal e animal, e o ferro heme presente apenas nos alimentos de origem animal. O ferro heme representa 40% do mineral presente em carnes, enquanto os 60% restante é ferro não heme. Resumido os alimentos de origem vegetal contém 100% de ferro não heme, enquanto que a carne contém 40% de ferro heme e 60% de ferro não heme.


ABSORÇÃO
Alimentos de origem vegetal só contêm ferro não-heme, o qual sofre maior interação com os demais nutrientes presentes na dieta, tanto para estimular (vitamina C e cisteina) ou diminuir (fitatos, polifenólicos, taninos e ácido oxálico) e tem uma absorção média de 10%. Já o Ferro heme não sobre influencia da dieta e tem uma absorção de aproximadamente 20%.

MITO
Como podemos perceber teoricamente a carne por possuir o ferro heme tem uma melhor absorção do ferro, e é com base nesse critério que tantos profissionais da saúde recomendam e enfatizam o uso desse alimento como sendo essencial para prevenir uma anemia.

ANALISANDO
A tabela abaixo contém a quantidade de ferro por 100 calorias de cada alimento, os dados utilizados foram do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).


Na primeira coluna estão os alimentos, na do meio a quantidade de ferro em 100 calorias do alimento e na coluna da esquerda a quantidade de ferro que vamos de fato absorver, veja abaixo como fiz a conta:

Exemplo1:
Carne de boi (alcatra), cozida – 1,17mg de ferro a cada 100 calorias do alimento
60% ferro não heme = 0,702mg (absorção média de 10%) = 0,07mg de ferro absorvido
40% ferro heme =0,468mg (absorção média de 20%) = 0,094mg de ferro absorvido
Total de ferro absorvido = 0,16mg

Exemplo2:
Lentilha, cozida = 2,87mg de ferro a cada 100 calorias do alimento
100% ferro não heme = 2,87mg (absorção média de 10%) = 0,29mg de ferro absorvido
Total de ferro absorvido = 0,29mg

CONCLUSÃO
Como conclusão, podemos notar que a carne não é o único fornecedor (considerável) de ferro na dieta, que temos outros alimentos de origem vegetal que são igualmente bons, ou melhores. Com isso eu volto a dizer que o mais importante não é a ingestão de um determinado alimento ou não na dieta e sim seu equilíbrio como um todo, afinal nenhum alimento contém todos os nutrientes, assim como nenhum nutriente esta em apenas um alimento.

7 comentários:

Tes Saloniki disse...

Excelente artigo, Eduardo. Muito esclarecedor.

TES

Luciana disse...

Eduardo,

Achei o artigo muito esclarecedor, porém, ao utilizar como unidade de medida a caloria, creio que possa gerar um problema quantitativo.

Enquanto 100 calorias de carne bovina, por exemplo, equivalem à aproximadamente meio bife (por favor, corrija-me se eu estiver falando alguma bobagem), 100 calorias de couve são quase meio quilo. É uma quantidade bem difícil de ser ingerida em uma refeição.

As vezes eu olho os valores de ferro dos alimentos e vejo que eu precisaria comer muitíssimo para obter todo o ferro que eu preciso.

Como combinar os itens de modo que as necessidades de ferro sejam supridas?

Um grande abraço e parabéns pelo trabalho.

Eduardo Fraccarolli Buriola disse...

Prezada Luciana,
Aproximadamente as suas medidas estão corretas sim.
Concordo com você que no caso isolado da couve 100 calorias representam um volume alto e praticamente impossível de se estabelecer, mas isso não se reflete nos feijões, castanhas, cereais e diversos outros alimentos.
Volto a dizer que o mais importante não é a ingestão de um alimento ou outro de forma isolada e sim a combinação da dieta em 24horas.

Ajudei?

Abraços!

Hime Himura Voigt disse...

As castanhas são um ótimo exemplo:
100g de castanha de caju são 574 kcal.

100kcal de castanha seriam apenas 18g... Isso é um mísero punhado de castanhas.

adjarbas disse...

Parei!!! Com certeza "eles" não querem que absorva se ferro ou seja la o que for....
Sou vegetariano a 23 anos, e antes de me tornar vege., tive uma anemia dessas de mandar nego pra caixa.Todos diziam a mesma coisa, que seria uma má ideia me tornar vegetariano.
No entanto to por aki escrevendo lendo e comendo a vida toda, exceto carnes mortas.
abçs

Nanci Py disse...

Excelente! Claro e objetivo.

Parabéns pelo trabalho Eduardo!

Rayane disse...

Olá,
Estou prestes a fazer a cirurgia bariátrica por questões de saúde. Tenho o desejo me tornar vegetariana, porém com a cirurgia meu médico disse que não poderei. Acha realmente que viverei com problemas sendo bariatrizada ou ´há outros meios?

Agradecida,

Postar um comentário